Anualmente mais de 4 milhões de pessoas realizam a declaração do imposto de renda. Preparamos o artigo de hoje com a finalidade de informar nossos leitores sobre quem precisa declarar e qual o prazo da declaração. Portanto acompanhe o texto.

O que é o Imposto de renda?

O imposto de renda é um dos tributos mais importantes que os brasileiros devem pagar com o propósito de melhorar a saúde educação e segurança no país. É preciso declarar anualmente ao governo os rendimentos e bens. O recebimento das declarações fica atribuído a receita federal.

O imposto de renda incide sobre a renda dos trabalhadores, sendo descontado diretamente na folha de pagamento. Se tratando de empresas o imposto de renda incide sobre o lucro, e o pagamento do imposto muda de acordo com a tributação, a declaração fica por conta da contabilidade da empresa. O imposto de renda é progressivo quanto maior os ganhos maior será o valor a ser pago.

Alíquotas de imposto de renda

Os valores pagos de imposto de renda tem alíquotas variáveis. A tabela do imposto de renda trás as alíquotas refente ao ano de 2019:

Base de Calculo Alíquota Parcela a deduzir do IR
Até R$ 1903,98 ———– ———–
De R$1903,99 até R$2826,65

 

7,5% 142,80
De R$2826,66 até R$3751,05

 

15% 354,80
De R$3751,06 até R$4664,68

 

22,5% 636,13
Acima de R$4664,68

 

27,5% 869,36

Como já comentado as alíquotas são progressivas e quanto maior a renda maior será o valor do imposto, desse modo no ano de 2019 a variação fica de 0 a 27,5%, onde quem recebeu até R$ 1903,98 fica isento da contribuição. Já quem teve um ganho acima de R$4664,68 contribui com o maior percentual.

Quem precisa declarar o Imposto de renda?

Nem todo mundo precisa realizar a declaração, desse modo estão

  • Recebeu, rendimentos tributáveis que somaram mais de R$ 28.559,70 no ano de 2018.
  • Contribuintes com rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados diretamente na fonte,  somando R$40 mil no ano anterior.
  • Quem ganhou no ano anterior bens por alienação ou direito sujeito a incidência do imposto, ou também realizou operações na bolsa de valores.
  • Quem obteve posse em 31 de dezembro de 2018 de bens ou direitos que somaram mais que R$300 mil.
  • Quem obteve em 2018 uma renda bruta superior R$140.619,55, vindas de atividades ruralistas.
  • Contribuintes da receita federal que transferiram sua condição de residente em terras brasileiras.
  • Indivíduos que compensarem em 2018 prejuízos relativos a atividade rural de anos calendários anteriores.

Desse modo você se encaixa em algum dos itens acima, é preciso entregar  a declaração do imposto de renda. Portanto é importante ficar atento ao cronograma.

Como declarar o imposto de renda?

Neste ano em fevereiro ficará disponível o download do programa no site da Receita Federal para realizar a declaração. Em março é iniciado o período onde a declaração deve ser feita. Para declarar seu imposto de renda você deve ter em mãos a documentação necessária, documentos pessoais e informações de rendimentos.

A opção declaração de ajuste anual deve ser selecionada, lembrando que a outra opção “retificadora” é para realizar uma correção de uma declaração anterior.

Preencha todos os seus dados pessoais, em seguida informe seus rendimentos identificando as instituições pagadoras, caso não informado corretamente é possível cair na “malha fina”.

Aplicações financeiras, imóveis automóveis, devem ser declarados no campo bens de direito. É possível declarar bens dedutíveis como gastos com saúde e educação, deve ser informada a instituição ou profissional que recebeu o pagamento.

Para evitar a entrega de uma declaração com erros, o programa disponibiliza o botão “verificar pendências” que analisa se algum campo obrigatório ficou incompleto, e alerta o usuário.

O próprio programa indica ao contribuinte qual a melhor forma de entregar a declaração completa ou simplificada, analisando a opção mais vantajosa. Para quem possui direito a restituição o programa ainda faz uma solicitação de cadastro de conta bancária.

Para finalizar basta clicar no botão “entregar declaração”. A declaração é finalizada e suas obrigações com o fisco ficam em dia.

O que acontece se não declarar ?

A primeira atitude do governo ao se deparar com um contribuinte que não realizou a declaração, é colocar o status do CPF do mesmo como pendente de regularização. Assim a pessoa fica impossibilitada de realizar empréstimo, realizar concursos, comprar, vender entre outros.

Além disso uma taxa é estipulada sobre o valor do imposto que deveria ser pago. A multa começa a ser contada a partir do primeiro dia, após o fim do prazo de entrega. Quando o imposto não é pago o contribuinte automaticamente é incluído no quadro de sonegadores de imposto do governo.

Se você está em dúvida se precisa ou não declarar o imposto de renda é aconselhável que busque um contador ou uma consultoria na área para evitar dores de cabeça.

Com o ODVIX, você pode efetuar lançamentos de suas contas pagas e recebidas, bem como anexar comprovantes e recibos, facilitando a identificação na hora de declarar seu imposto de renda, tornando o processo mais simplificado e fácil. Aproveite o período de avaliação!