fbpx

O que é Pix? Saiba tudo sobre e como utiliza-lo!

O que é Pix? Saiba tudo sobre e como utiliza-lo!

pix

No início de 2020, o Banco Central (BC) anunciou o lançamento de um novo meio de pagamentos instantâneos, o Pix. A projeção é que o funcionamento se inicie no dia 16 de novembro, permitindo que pagamentos e transferências sejam feitas em até 10 segundos. O Pix também estará disponível 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Acompanhe a seguir tudo sobre o Pix, o que é e como utiliza-lo:

Mas afinal, o que é o Pix?

O Pix é a nova forma de realizar pagamentos e transferências de forma rápida, sem a necessidade de esperar dias para que o valor “caia” na conta de quem irá receber. Com isso, além de transferências, o Pix vai possibilitar realizar pagamentos.

Transferências e pagamentos poderão ser realizados a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana, incluindo horários de madrugada e finais de semana. Portanto, irá facilitar e agilizar as transferências de valores entre pessoas, pagamento de contas e, até mesmo, recolhimento de taxas de serviços e impostos. É importante saber que para cadastrar uma chave Pix, não é preciso baixar nenhum aplicativo ou fazer cadastro. A chave pix é oferecida diretamente no aplicativo de seu banco ou instituição financeira, é necessário que a instituição ofereça esse meio de pagamento.

E como vai funcionar o Pix?

Antes de explicar, é importante saber como funciona o mercado atual, assim o entendimento de Pix será melhor. Hoje existem algumas opções e possibilidades para enviar e receber dinheiro entre pessoas com contas em bancos ou instituições:

  1. Com o TED (Transferência Eletrônica Disponível), o dinheiro enviado a outro banco ou instituição será creditado na conta destino até as 17 horas do mesmo dia. Não havendo valor mínimo e podendo ser transferidos valores maiores que R$ 5 mil;
  2. O DOC (Documento de Ordem de Crédito) o dinheiro irá cair na conta apenas no dia seguinte, podendo levar mais de um dia útil se realizado após as 22 horas. Além disso, o valor máximo é de R$ 4.999,99.

Tanto o TED quanto o DOC funcionam exclusivamente em dias úteis.

O Pix vai ser uma alternativa para os meios de pagamentos existentes e pode ser feito pelo aplicativo de seu banco ou instituição financeira sem precisar baixar aplicativos extras. Apenas torna-se necessário que a instituição financeira adote o Pix como ferramenta de pagamentos e transferências. A proposta do Pix é funcionar 24 horas por dia, 7 dias da semana, em todos os dias do ano, com transações realizadas em segundos. Em outras palavras, as transações serão realizadas em tempo real, sem intermédio de terceiros, assim, o dinheiro sai de uma conta e vai diretamente para a conta do recebedor

Segundo o BC, as transações podem ser feitas entre pessoas, assim como por instituições empresariais, varejos e instituições governamentais (no caso de impostos e taxas).

Mas como fazer transações com o Pix?

Para utilizar o Pix, tanto o pagador (quem irá enviar o dinheiro) quanto o recebedor (quem irá receber o dinheiro) devem possuir conta em banco, instituição de pagamento ou fintech. Não sendo necessário que a conta seja uma conta corrente.

Assim, o Banco Central regulamentos que transações Pix podem ser feitas de formas diferentes:

  • Informando uma chave Pix, onde o usuário poderá adicionar a uma conta que já possui. Essa chave pode ser o número de celular, CPF, CNPJ, e-mail ou uma chave aleatória, onde será necessário informar apenas um destes;
  • Informando os dados bancários do recebedor, da mesma forma como faz um TED ou DOC hoje – nome completo, CPF, número da instituição ou banco, agência e conta;
  • Também, pode ser realizado através da leitura de QR Codes, estáticos ou dinâmicos.

Vale ressaltar que o Pix será gratuito para pessoas físicas, mas poderá ser pago diante de algumas situações, quando escolhido Pix por meio físico, por exemplo. No entanto, alguns segmentos de empresas precisarão pagar para utilizar este novo meio de pagamento.

Como fazer transações utilizando Chaves Pix?

A chave Pix é um meio que o usuário utilizará para realizar transferências Pix para alguém. Ela substituirá a necessidade de informar vários dados pessoais do recebedor. A chave pix poderá ser composto por: CNPJ, CPF, número de telefone celular, e-mail ou uma chave aleatória.

Pessoais físicas poderão adicionar até cinco chaves do Pix por conta que seja titular. No entanto, pessoas jurídicas podem cadastrar até vinte chaves por conta. Lembrando que o limite de chaves é por conta, não por pessoa, dessa forma, não existe um limite máximo de chaves que uma pessoa poderá cadastrar. Porém, não é possível adicionar a mesma chave para mais de uma conta, ela deve ser exclusiva.

E como fazer transações utilizando QR Code?

Caso seja escolhida esta forma, o usuário ou o estabelecimento recebedor irá apresentar um QR Code, que poderá ser lido através de um smartphone. Segundo o Banco Central, existem dois tipos de QR Code com usos diferentes:

  • Com o QR Code estático, podem ser realizadas múltiplas transações e permite que seja definido um valor para cada produto ou um valor definido pelo pagador, podendo ser utilizado, também, como forma de transferência entre duas pessoas;
  • E o QR Code dinâmico, que é mais adequado para pagamentos de compras, tendo em vista que poderá apresentar informações diferentes a cada transação feita e permite que sejam incluídas algumas informações adicionais sobre a transação.

As chaves Pix também poderão ser compartilhadas com outros usuários através de QR Code gerado a partir do aplicativo da instituição, entretanto, detalhes de como poderá ser gerado estes QR Codes ainda não foram exatamente definidos e dependem de um prazo de implementação.

Gostou desta nova publicação do odvix? Gostaria de mais artigos como esse? Comente logo a baixo sobre quais assuntos você gostaria de ver por aqui!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *